Timor-Leste: Identidade e Território

Timor-Leste: Identidade e Território

Timor-Leste: Identidade e Território

A Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), fundada a 26 de novembro de 1986, reúne mais de 140 instituições de ensino superior e investigação dos países de língua portuguesa, em prol do desenvolvimento coletivo do ensino e da língua portuguesa no mundo, mobiliza recursos com o objetivo de estimular a investigação, fomentar o intercâmbio e  incentivar a reflexão contínua.  A AULP promoveu, por ocasião da sua conferência anual, o XXVI Encontro da AULP em Díli, Timor-Leste, a publicação de uma  memória que recorda a história de Timor-Leste, a sua identidade e território.

Para o efeito, foi convidado a escrever para a ocasião, o investigador Fernando Augusto de Figueiredo, que se tem dedicado a estudar a  história de Timor-Leste. Aceitando o desafio, o autor recorda neste texto o percurso que vai desde os reinos timorenses, passando pela presença portuguesa no país, até às problemáticas associadas à fronteira marítima, bem como os acontecimentos mais relevantes que permitiram a independência de Timor-Leste.

Oferecido a todos os membros da AULP, no final desta memória, uma edição autónoma da Planta das Operações na Pedra do Cailaco, retrata a revolta da Casa de Camnace, que levaria ao abandono de Lifau, um desenho anexo a uma carta enviada pelo governador de Timor,  para o vice-rei de Goa em 1727. Um dos documentos mais antigos sobre a história da autodeterminação, reproduzido agora para o primeiro Encontro da AULP em Timor, no ano em que esta completa os 30 anos de atividade.

Professor Doutor Rui Martins, Presidente da AULP em representação da Universidade de Macau

Professora Doutora Cristina Montalvão Sarmento, Secretária-Geral da AULP

Disponibilidade: Esgotado.

Timor-Leste: Identidade e Território

Virtudes de algumas plantas, folhas, frutas, cascas e raízes de diferentes árvores e arbustos da Ilha de Timor

Virtudes de algumas plantas, folhas, frutas, cascas e raízes de diferentes árvores e arbustos da Ilha de Timor

Esta obra fac-similada, reeditada pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), é publicada por ocasião do XXVI Encontro da AULP em Díli, Timor-Leste, no ano em que a associação completa 30 anos. Desde 2007 a AULP é responsável pela publicação de um conjunto de obras comemorativas nos seus encontros anuais, contribuindo para o panorama literário e científico nos países onde se fala a língua portuguesa.

São reedições fac-similadas de obras inacessíveis, livros científicos de reconhecido valor já desaparecidos, ou cuja oportunidade se faz sentir, que são distribuídas gratuitamente por todos os membros, servindo os interesses da comunidade científica, enriquecendo o debate científico e favorecendo a relação entre os membros da comunidade.

O códice “Virtudes de algumas plantas, folhas, frutas, cascas e raízes de diferentes árvores e arbustos da Ilha de Timor” é um documento ímpar para a História Natural de Timor-Leste, com desenhos aguarelados que acompanham a descrição exaustiva das plantas referenciadas e a listagem de remédios que delas podem ser obtidos e que eram usados pelas gentes de Timor. Escrito e desenhado em longas folhas de papel de arroz por Frei Alberto de S. Thomaz, missionário em Timor no ano de 1749, este é um manuscrito de 64 páginas belamente ilustrado que enaltece as qualidades de etnógrafo e de naturalista do autor. Escrito entre 1788 e 1800, encontra-se conservado e guardado no Arquivo Histórico Ultramarino de Portugal.

Acompanhando a descrição das imagens, está uma lista de remédios criada por sucessivas gerações timorenses que podem ser obtidos através das plantas representadas. São 32 desenhos de plantas medicinais, acompanhadas de uma exposição ou descrição de cada uma delas. “(…) Nódoas, pisaduras, feridas, chagas, inchações, dores de corpo e de cabeça, defluxões e catarrais, febres e obstruções, indigestões, disenterias, flatos e torpores de barriga, esquinências pedras na via, gonorreias ou supressão do mês e das urinas, postemas, fraturas, ausência de tato, membros gretados, hidropézias, urinas sanguinolentas, olhos inflamados e “câmaras de sangue”, bexigas, hemorroidas, envenenamentos, picadas de cobra, e mesmo para os nado-mortos na barriga das mães (…)”. No final do códice está presente uma legenda desses textos, resultante de uma leitura cuidada.

O valor deste documento raro do século XVIII, é ampliado ao referir-se a uma ilha do arquipélago de Sonda ainda hoje com tantos mistérios a desvendar para várias ciências. Documentos dessa época, e referentes à botânica dessa zona do globo, são raros e daí o grande interesse que merecem estes desenhos das plantas de Timor.

Deixo os meus agradecimentos à Professora Doutora Cristina Montalvão Sarmento pela sua  imprescindível coordenação desta edição e à Pandora Guimarães, do Gabinete de Comunicação da AULP, que  fez a montagem e revisão do texto, bem como a legenda do códice. Por último, é de referir que esta publicação contou com o apoio da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, instituição de acolhimento do XXVI Encontro da AULP, e da Fundação Macau.

Professor Doutor Rui Martins, Presidente da AULP em representação da Universidade de Macau.

 Disponibilidade: Esgotado.

Timor-Leste: Identidade e Território

A ilha do fogo e as suas erupções

A ilha do fogo e as suas erupções

Esta obra fac-similada, publicada pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), é fruto do marcante contributo do Professor Orlando Ribeiro para o conhecimento aprofundado sobre a erupção vulcânica na ilha do fogo e a sua geografia. A AULP agradece à Professora Doutora Suzane Deveau e ao Professor Doutor António Ribeiro a autorização para realizar esta edição, assim como ao Professor Doutor José Madeira a disponibilidade para a prefaciar.

Por sugestão da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), pela atualidade face à recente erupção do vulcão da Ilha do Fogo em novembro de 2014, é pertinente a concretização deste projeto editorial por ocasião do XXV Encontro da AULP – em Cabo Verde, entre 15 e 17 de julho de 2015, – com o tema “Novos desafios para o Ensino Superior após os objetivos de desenvolvimento do milénio (ODM)”.

A AULP é uma organização não governamental internacional que promove a cooperação e troca de informação entre mais de 140 instituições de ensino superior dos oito países de língua oficial portuguesa – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor – e Macau, RAEM.

Disponibilidade: Esgotado.

Timor-Leste: Identidade e Território

Traços Biográficos Relativos ao Finado Antônio Francisco Lisboa, Finado Escultor Mineiro, mais Conhecido pelo Apelido de Aleijadinho

Traços Biográficos Relativos ao Finado Antônio Francisco Lisboa, Finado Escultor Mineiro, mais Conhecido pelo Apelido de Aleijadinho

Em todos os encontros da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) ocorre o lançamento de um livro alusivo à cultura ou história dos lugares que o sediam. No caso do XXIII Encontro da AULP, que decorreu na Universidade Federal de Minas Gerais, no campus Pampulha, a Editora UFMG optou por relançar a primeira biografia de um dos personagens mais importantes da história de Minas Gerais: o escultor barroco Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

Os traços biográficos relativos ao finado Antônio Francisco Lisboa, distinto escultor mineiro, mais conhecido pelo apelido de Aleijadinho foram escritos em 1858 pelo professor, promotor e deputado provincial mineiro Rodrigo José Ferreira Bretas. Ele narra o drama e os sofrimentos vividos pelo artista para materializar sua obra.

“A nossa cultura é plural e as obras de Aleijadinho retratam a junção da nossa herança lusa, africana e autóctone. Queríamos um livro sobre um artista que nos representasse. Essa biografia que a Editora UFMG relança é pouco conhecida, mas muito interessante. O prefácio do crítico cultural Silviano Santiago contextualiza a obra e a importância do Aleijadinho para o século XVIII”, explicou o diretor da Editora, Wander Melo Miranda.

A obra ganhou um ensaio fotográfico produzido por Jomar Bragança e que retrata diversas criações do escultor encontradas em museus e cidades históricas mineiras, como a escultura do profeta Ezequiel que integra o patrimônio cultural de Congonhas do Campo.

O livro tem também um significado especial para a Editora por ser a milésima publicação de seu catálogo.

Disponibilidade: Sob Consulta.

Preço: Sob Consulta.

Timor-Leste: Identidade e Território

Os Macondes de Moçambique

Os Macondes de Moçambique

Obra comemorativa do XXII Encontro da AULP, em Maputo, Moçambique. Edição digital com 4 volumes. “Aspectos Históricos e Económicos” (vol. I) – Jorge Dias; “Cultura Material” (vol. II) – Jorge Dias e Margot Dias; “Vida Social e Ritual” (vol. III) – Jorge Dias e Margot Dias; “Sabedoria, Língua, Literatura e Jogos” (vol. IV) – Manuel Viegas Guerreiro.

Reedição das obras originais de 1964 – resultante das campanhas de pesquisa etnográfica levadas a cabo pela Missão de Estudos das Minorias Étnicas no Norte da Província de Moçambique.

Estes 4 volumes estudam em profundidade o povo maconde até 1960.

Versão exclusivamente em formato digital (DVD).

Disponibilidade: Disponível.

Preço: €5

Timor-Leste: Identidade e Território

A Misericórdia de Macau (Séculos XVI a XIX)

A Misericórdia de Macau (Séculos XVI a XIX)

Edição comemorativa do XXIV Encontro da AULP, em Macau. Escrito por Leonor Diaz de Seabra, sendo uma publicação conjunta da Universidade de Macau e da Universidade do Porto. Tiragem de 500 exemplares, cada um com 692 páginas.

Disponibilidade: Sob Consulta.

Preço: Sob Consulta.