ENCONTRO DE PARCEIROS GEMINAE

ENCONTRO DE PARCEIROS GEMINAE

ENCONTRO DE PARCEIROS GEMINAE

ENCONTRO DE PARCEIROS GEMINAE

A AULP, como parceiro associado da Aliança UNITA Universitas Montium, participou na reunião de parceiros do programa GEMINAE em Barcelona a 12 de setembro.

No encontro foram apresentados os projetos da Universidade Europeia UNITA nas áreas de Mobilidade Rural, Mobilidade Virtual, BIP (Blended Intensive Programmes), UCIL (UNITA Programas de Aprendizagem Colaborativo) e as diversas atividades em Intercompreensão e Multilinguismo.

A AULP é parceiro associado da iniciativa UNITA Universitas Montium, ação financiada pela União Europeia através do Programa Erasmus+ para a criação de Universidades Europeias, desde novembro de 2020. As Universidades Europeias são alianças transnacionais ambiciosas de Instituições de Ensino Superior que desenvolvem uma cooperação estratégica e estrutural de longo prazo com o objetivo de promover a excelência, a inovação e a inclusão no Ensino Superior, acelerando a transformação das IES em universidades do futuro, com equipes transdisciplinares e transnacionais de estudantes, docentes e  parceiros externos que enfrentarão grandes questões, como as mudanças climáticas, democracia, saúde ou big data.

Com uma duração de 36 meses, a UNITA reúne 6 universidades europeias e 12 parceiros associados com o objetivo de construir um novo modelo de universidade europeia participativa, aberta e inclusiva.

MEMBROS DA UNIVERSIDADE EUROPEIA UNITA

Organização Tipo de organização País
Universidade Beira Interior Instituto de Ensino Superior Portugal
Université de Pau et des Pays de l’Adour Instituto de Ensino Superior França
Université Savoie Mont Blanc Instituto de Ensino Superior França
Universitates de Vest Instituto de Ensino Superior România
Università Degli Studi di Torino Instituto de Ensino Superior Itália
Universidad de Zaragoza Instituto de Ensino Superior Espanha

 PARCEIROS ASSOCIADOS DA UNIVERSIDADE EUROPEIA UNITA

Organização Tipo de organização País
AULP – Associação das Universidades de Língua Portuguesa Associação Internacional Portugal
EnerArea – Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior Sociedade não lucrativa incluindo Câmaras Municipais, Empresas Privadas e Empresas Energéticas Portugal
EUROMONTANA – European association of mountain areas Associação Europeia França

APICAD – International Association for the Promotion of the

Online Intercomprehension

Associação Internacional França

AUF-DRUE – Agence universitaire de la Francophonie,

délégation chargée des relations avec l’Union européenne

Associação Internacional Bélgica

OEI – Organización de Estados Iberoamericanos para la

Educación, la Ciencia y la Cultura

Organização Internacional Espanha
Piedmont Region Administração Pública Itália
Municipality of Turin Administração Pública Itália
Municipality of Cuneo Administração Pública Itália
Confindustria Piemonte Federação Regional incluindo 8 Associações de Empreendedorismo Itália

Camera di Commercio Industria Artigianato e Agricoltura

di Torino

Administração Pública Itália
API – Associazione Piccole e Medie Imprese – Torino Associação de Empresas Pequenas e medianas Itália

As 6 universidades membro da UNITA partilham três características principais comuns:

(1) serem universidades localizadas em regiões montanhosas rurais e transfronteiriças no sul, centro e leste da Europa;

(2) usar línguas românicas como línguas acadêmicas comuns;

(3) serem universidades com laços fortes entre a aprendizagem e a pesquisa das áreas rurais e montanhosas, destacando a aprendizagem e a pesquisa nos campos do patrimônio cultural, energias renováveis ​​e a economia circular.

Juntamente com os parceiros associados, atores do setor socioeconômico, autoridades públicas, legisladores e organizações internacionais como AULP, a Universidade Europeia UNITA quer promover um campus interuniversitário europeu baseado na excelência em aprendizagem e ensino e na pesquisa e inovação para e com os territórios.

A UNITA tem como missão:

  • Facilitar aos alunos da UNITA experimentar um ambiente desafiador, multilíngue e centrado no aluno, intimamente ligado à pesquisa e ao empreendedorismo. Cada estudante poderá construir currículos personalizados flexíveis em todas as universidades da Aliança com base à mobilidade, física e virtual.
  • Apoiar o desenvolvimento das sociedades e dos territórios em que está estabelecida, promovendo políticas conjuntas entre universidades e regiões rurais e de montanha transfronteiriças com dimensão europeia.
  • Criar espaços de co-working para ajudar estudantes, empresas, instituições e pesquisadores a se conectarem e trabalharem juntos.
  • Desenvolver os territórios rurais e montanhosos, contribuindo assim para compensar o despovoamento.

Durante os quase dois anos da Universidade Europeia UNITA, as atividades realizadas direcionaram-se a:

 

  1. Desenvolver a excelência na educação superior orientada para a pesquisa e a educação centrado no estudante;
  2. Promover o multilinguismo e a diversidade linguística;
  3. Reduzir as desigualdades entre regiões centrais e não centrais por meio do desenvolvimento sustentável;
  4. Alcançar a mobilidade para todos promovendo a mobilidade rural e a mobilidade virtual;
  5. Alargar as parcerias com Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa fora da União Europeia através da iniciativa GEMINAE;

Dentro da Iniciativa GEMINAE da UNITA, participam membros da nossa rede AULP em Cabo Verde, Moçambique, Brasil e Timor-Leste:

A AULP, como parceiro associado da Aliança UNITA, participou nas seguintes reuniões UNITA, disponibilizando a experiência da AULP na promoção da língua portuguesa no âmbito da educação superior global e da ciência aberta em português:

    UNITA
    Geminae
    Geminae

    UM une-se a outras universidades e institutos na China e países de língua portuguesa para construir aliança de investigação oceânica

    UM une-se a outras universidades e institutos na China e países de língua portuguesa para construir aliança de investigação oceânica

    UM une-se a outras universidades e institutos na China e países de língua portuguesa para construir aliança de investigação oceânica

    A cerimónia de inauguração da Aliança de Investigação Oceânica China-Países de Língua Portuguesa iniciada pela Universidade de Macau (UM) e a primeira reunião do conselho executivo da aliança decorreram dia 9 de setembro online. Mais de 70 representantes de universidades e institutos membros da aliança na China e países de língua portuguesa participaram da cerimónia. A aliança visa reunir as forças e recursos de pesquisa dos seus membros no campo da ciência oceânica e promover o intercâmbio e a cooperação em áreas afins entre a China e os países de língua portuguesa.

    Atualmente, 19 universidades e institutos de pesquisa influentes no campo da ciência oceânica na China, Portugal, Brasil, Angola e Moçambique aderiram à aliança, através da qual aprofundarão a cooperação em áreas como inovação tecnológica e desenvolvimento de talentos.

    Entre os que discursaram na cerimónia contam-se Yonghua Song, reitor da UM; Xu Jie, vice-diretor-geral do Gabinete de Assuntos de Hong Kong, Macau e Taiwan do Ministério da Ciência e Tecnologia da China; Wang Antao, chefe da Terceira Divisão de Cooperação Internacional do Departamento de Cooperação Internacional do Ministério de Recursos Naturais da China; João Nuno Calvão da Silva, presidente da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP); Che Weng Keong, chefe do Departamento de Tecnologia do Gabinete de Desenvolvimento Económico e Tecnológico da RAEM; e José Victor-Santos, presidente do Laboratório de Robótica e Sistemas de Engenharia (LARSyS), Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa. Huang Shengbiao, vice-chefe do Departamento de Assuntos Económicos do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central da RAEM, e Ip Kuai Lam, membro da Comissão Administrativa do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Macau, estiveram presentes na cerimónia.

    O Reitor Song disse que a UM alavancou o papel da RAE de Macau como ponte entre a China e os países de língua portuguesa na promoção do estabelecimento da aliança para a construção de uma comunidade de futuro partilhado para a humanidade no domínio oceânico. No futuro, a aliança dedicar-se-á a aumentar a cooperação entre universidades e institutos da China e dos países de língua portuguesa no campo da ciência oceânica. Os membros da aliança também aprofundarão a cooperação em áreas como compartilhamento de recursos, pesquisa científica, desenvolvimento de talentos, inovação e serviço comunitário.

    Após a cerimónia, o Vice-Reitor da UM, Rui Martins, deu início ao primeiro Simpósio de Investigação e Educação Oceânica da China e Países de Língua Portuguesa. Vários especialistas de renome da China e de países de língua portuguesa proferiram palestras durante o evento: Chen Dake, diretor do Laboratório de Engenharia e Ciência Marinha do Sul de Guangdong (Zhuhai); José Victor-Santos, presidente do Laboratório de Robótica e Sistemas de Engenharia (LARSyS), Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa; Dai Minhan, professor titular da Faculdade de Ciências do Oceano e da Terra da Universidade de Xiamen; Ettore Apolónio de Barros, professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo; e Cai Wenju, cientista-chefe de pesquisa da Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth (CSIRO) Oceans & Atmosphere. O evento contou com participantes de cerca de 20 universidades e institutos de pesquisa da China e de países de língua portuguesa abordaram a ciência oceânica.

    Encontro Anual de Associação das Universidades de Língua Portuguesa -2022

    Encontro Anual de Associação das Universidades de Língua Portuguesa -2022

    Encontro Anual de Associação das Universidades de Língua Portuguesa -2022

    Após a paragem forçada devida à pandemia COVID-19 a AULP reuniu-se o XXXI Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), realizado nos dias 12, 13 e 14 de julho, na Universidade de Coimbra (UC).

    Com o tema Globalização e Saúde foram apresentados neste evento mais de 40 trabalhos científicos realizados por investigadores e professores dos países integrantes do espaço lusófono. Cerca de 250 pessoas estiveram reunidas durante três dias na Universidade de Coimbra, onde discutiram temas associados aos desafios globais enfrentados pelos países de língua portuguesa no âmbito social, cultural, da formação académica, das ações de desenvolvimento necessárias ao ensino superior, da saúde, e em geral das universidades e das políticas públicas. O Encontro proporcionou um debate interdisciplinar transversal a várias áreas científicas dos diversos países da CPLP presentes.

    Distribuído em três subtemas – Desafios Globais Contemporâneos, Globalização, Tecnologia e Saúde e Conhecimento, Língua e Práticas Culturais, o Encontro Anual da AULP gerou diversos debates entre os seus membros, acerca dos estudos e investigações sobre a cultura, a educação e a saúde em Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Brasil e Portugal.

    Dia 12 de julho, cerimónia de abertura dos trabalhos

    Na cerimónia de abertura do Encontro, no auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra, o Presidente da AULP em representação do Reitor da Universidade de Coimbra, João Nuno Calvão da Silva, acolheu reitores, professores e investigadores provenientes das instituições de ensino superior membros da AULP. O Reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, sinalizou no seu discurso o importante papel da Associação para a promoção da cooperação internacional para o ensino superior.

    No evento, o Conselho de Administração da AULP reuniu na sala de Congregações da Reitoria da Universidade de Coimbra. E no contexto do programa, foi realizada uma sessão sobre Avaliação Institucional e Implantação dos Sistemas Internos de Garantia de Qualidade no Ensino Superior dos Estados Membros da CPLP/Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, bem como a Reunião de Cooperação com os parceiros da AULP. No mesmo dia, foram lançadas as edições de 2022 da Revista Internacional em Língua Portuguesa – RILP e a obra comemorativa do evento.

    O Tema I – Conhecimento, Língua e Práticas Culturais teve a moderação da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Foi apresentado o português em contexto multilingue: desafios globais para necessidades locais, trabalho que abriu a sessão das comunicações, apresentado pelo professor Manuel Célio Conceição, da Universidade do Algarve. Entre outras apresentações, foram discutidos temas como o desafio do ensino superior de artes em Angola, as suas experiências e dificuldades da Universidade de Luanda; Previsão de rendimento académico nas universidades públicas de Angola e a valorização das competências transversais e de empregabilidade no Politécnico de Lisboa; e Programa de TwinLabs do CIBIO em África e a Cátedra UNESCO Life on Land.

    Dia 13 de julho, Globalização, Tecnologia e Saúde 

    Universidades do Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde e Portugal estiveram reunidas para expor e debater trabalhos sobre a temática Globalização, Tecnologia e Saúde. Foram apresentados estudos sobre Políticas Públicas em Saúde “Pós-Pandemia”: Projeto Respirar, pela Universidade do Amazonas; A Formação e a Investigação no Desenvolvimento da Saúde em Cabo Verde, pela Universidade de Cabo Verde; Tecnologias digitais e trabalho docente da UNIFIMES, pelo Centro Universitário Mineiros, do Brasil; e Globalização e Tecnologia pela Escola Superior Saúde Santa Maria.

    O papel das universidades na promoção da saúde foi o tema do trabalho do ISCTE Portugal e o Ensino médico na universidade pela Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique, e ainda, o Programa de Internacionalização da Universidade Federal de Uberlândia, do Brasil; e a Sociedade do consumo e o desafio de formar cidadãos críticos pela Universidade Federal do Pampa, entre outros.

     Dia 13 de julho, Conhecimento, Línguas e Práticas Culturais

    Sob a moderação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foram apresentados trabalhos ligados à artes, cultura e disseminação da língua portuguesa. O Instituto Politécnico de Lisboa apresentou o trabalho Espaçoartes – Politécnico de Lisboa como um exemplo de boa prática cultural. O Ensino do Português em São Tomé e Príncipe foi o tema da comunicação da Universidade de S. Tomé e trouxe ao debate os desafios atuais de ensinar o idioma no país.

    Outras comunicações evidenciaram questões cruciais como a distância física ou cultural para o desenvolvimento do comércio latino-americano em língua portuguesa pela Universidade Estadual de Santa Cruz, Brasil e o panorama global de disseminação da língua portuguesa, apresentado pelo Observatório Político de Portugal e as ideologias socioculturais do Lobolo no sul de Moçambique pela Universidade Save.

    Outros temas foram destaque como a abordagem interdisciplinar da variação e mudança linguística do português na comunidade Tshwa-Moçambique e a Não Patologização do processo de aquisição da escrita em português.

     Dia 14 de julho, Conhecimento, Línguas e Práticas Culturais

    Os membros da AULP estiveram reunidos durante a manhã para definir os novos rumos da cooperação internacional, após o que se realizou a Assembleia Geral da Associação das Universidades de Língua Portuguesa.

    Na sessão solene de encerramento do evento, foi entregue o Prémio Fernão Mendes Pinto aos vencedores com as melhores teses dos anos de 2020 e 2021 aos pesquisadores Sara Santos (2021) e Mateus Segunda Chicuna (2020), entregues respetivamente pela Universidade de Brasília e pelo Presidente do Instituto Camões, Portugal.

    Encontro da AULP 2023 

    A próxima edição do evento, o XXXII Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) acontecerá em São Tomé e Príncipe, em 2023, se as condições sociais e sanitárias o permitirem.

    UM realiza cerimónia de recepção de um manuscrito português raro

    UM realiza cerimónia de recepção de um manuscrito português raro

    UM realiza cerimónia de recepção de um manuscrito português raro

    A Biblioteca da Universidade de Macau (UM) realizou dia 9 de Junho uma cerimónia de recepção de um raro manuscrito português intitulado “Relatório Oficial da Embaixada de D. João V de Portugal ao Imperador Yongzheng da China em 1725-1728”.

    O manuscrito, doado pela Fundação para o Desenvolvimento da UM, detalha a chegada do embaixador português Alexandre Metelo de Sousa e Menezes a Pequim via Macau na sua visita ao Imperador Yongzheng, sendo um documento de importância significativa para o estudo das relações sino-portuguesas na sua fase inicial.

    No seu discurso, o Vice-Reitor da UM, Prof. Dr. Rui Martins, indicou que a data em que este evento se realizou, 9 de Junho, o Dia Internacional dos Arquivos, reveste-se de significado, acrescentando que o raro manuscrito irá servir como um ponto de referência importante para a compreensão da política, economia e cultura da China nesse período, bem como da perspectiva dos portugueses em relação à China. Adicionalmente, Han Yongfu, Vice-Director do Primeiro Arquivo Histórico da China, e a Dra. Cristina Pinto Basto, Directora da Biblioteca da Ajuda, proferiram ambos um discurso através de vídeo em Pequim e em Lisboa, respectivamente.

    O “Relatório Oficial da Embaixada de D. João V de Portugal ao Imperador Yongzheng da China em 1725-1728” documenta pormenorizadamente o itinerário de Alexandre Metelo, embaixador de Portugal, na sua viagem de Lisboa a Macau, de Cantão (Guangzhou) a Pequim, e o seu posterior regresso de Macau até Lisboa. Além de revelar as impressões do embaixador sobre a viagem à corte imperial de Pequim, o manuscrito inclui também detalhes sobre a sua estadia em Macau, os seus encontros com os portugueses e os oficiais chineses locais, assim como uma lista de presentes trocados entre os dois soberanos.

    Na cerimónia, o Prof. Dr. António Vasconcelos de Saldanha, professor no Departamento de História da Faculdade de Letras da UM, deu uma explicação aprofundada sobre a história e a importância do manuscrito. Entre os artigos expostos durante a cerimónia constava uma cópia do manuscrito, uma cópia de alta definição da carta de D. João V de Portugal ao Imperador Yongzheng datada de 29 de Março de 1725, bem como um vídeo da Biblioteca da Ajuda sobre um documento semelhante, da embaixada de 1727 ao Imperador Yongzheng, e a carta e lista de presentes do Imperador Qianlong a D. José I de Portugal em 1753.

    A cerimónia contou com convidados como o Dr. Peter Lam Kam Seng, Presidente do Conselho da Universidade; o Prof. Dr. Yonghua Song, Reitor da UM; Lao Mei I, representante da Presidente do Instituto Cultural da RAEM; Paulo Cunha Alves, Cônsul-Geral de Portugal em Macau e Hong Kong; Anabela Fátima Xavier Sales Ritchie, membro do Conselho da Universidade; Prof. Dr. Rui Martins, Vice-Reitor (Assuntos Globais) da UM; Prof. Dr. Xu Jie, Director da Faculdade de Letras; Prof. Dr. António Vasconcelos de Saldanha, professor no Departamento de História, e Prof. Dr. Wu Jianzhong, Bibliotecário da UM, assim como várias personalidades dos diversos sectores da sociedade.

    Visita AULP à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

    Visita AULP à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

    Visita AULP à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

    A 25 de maio de 2022 a AULP visitou a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias com sede em Lisboa, membro da AULP e Instituição aderente ao Programa Mobilidade AULP. O objetivo da visita foi conhecer o Gabinete para as Relações Internacionais da Universidade Lusófona e abordar o alargamento da cooperação para a internacionalização de ambas instituições, quer no âmbito do Programa Mobilidade AULP quer no âmbito do Programa Erasmus+ Ação-Chave 1 e Ação-Chave 2. Adicionalmente, houve a oportunidade de visitar o ILIND – Instituto Lusófono de Investigação e Desenvolvimento da Universidade Lusófona e conhecer duas alunas participantes no Programa Mobilidade AULP:  A Isabela Bicalho, estudante de Direito na Universidade Federal de Uberlândia no Brasil e Analise Andrade, estudante de Psicologia na Universidade Federal Fluminense no Brasil. Ambas estão a realizar um semestre em mobilidade internacional na Universidade Lusófona graças ao Programa Mobilidade AULP (https://mobilidade-aulp.org/). Juntos, mobilizamos mais do que pessoas, mobilizamos conhecimento.

    Orlando da Mata e Orlando Quilambo homenageados pela UBI

    Orlando da Mata e Orlando Quilambo homenageados pela UBI

    Orlando da Mata e Orlando Quilambo homenageados pela UBI

    A Universidade da Beira Interior (UBI) atribuiu dois doutoramentos Honoris Causa, para homenagear duas figuras de elevado relevo científico e de administração universitária, de Moçambique e de Angola. O mais alto grau atribuído pela instituição contemplou Orlando António Quilambo, Reitor da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique), e Orlando Manuel José Fernandes da Mata, Reitor da Universidade Mandume Ya Ndemufayo (Angola).

    Orlando António Quilambo foi Reitor da Universidade Eduardo Mondlane desde 2011, depois de ter desempenhado outras funções de administração na instituição como Vice-reitor, Diretor Científico e Diretor da Faculdade de Ciências. Doutorado em Ciências Naturais pela Universidade de Gröningen, da Holanda, tem ainda formação em áreas da gestão universitária. O seu percurso inclui a participação em organismos como Associação das Universidades Africanas, a Associação do Ensino à Distância dos Países de Língua Portuguesa e a Associação das Universidades da Língua Portuguesa, onde foi membro do Conselho de Administração. Teve como Madrinha na homenagem Isabel Ferra, docente Jubilada da UBI.

    Orlando Manuel José Fernandes da Mata, foi Reitor da Universidade Mandume ya Ndemufayo desde 2015, foi, anteriormente, Reitor da Universidade Agostinho Neto, também sediada em Angola. É Engenheiro Agrónomo, Mestre em Agro-Química pela Universidade Martin Luther-Halle/Wittenberg, da antiga República Democrática da Alemanha (RD) e Doutorado em Nutrição Vegetal, pelo Instituto de Agronomia Tropical da Universidade de Leipzig (República Federal da Alemanha). Foi Presidente da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) no triénio 2017-2020, da qual a UBI faz parte. Em Angola, é membro fundador e Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Angolanas (Cruang). Integrou também o Governo de Angola e o Comité Consultivo Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia da SADC da Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação. Teve como Padrinho José Carlos Venâncio, docente do Departamento de Sociologia da UBI.