RILP – IV Série, nº39 (2021)

RILP – IV Série, nº39 (2021)

RILP – IV Série, nº39 (2021)

e  

Ensino da Língua Portuguesa: casos e projetos

Editores científicos desta publicação:

Alexandre Mavungo Chicuna, Universidade Agostinho Neto (Angola)

Manuel Célio Conceição, Universidade do Algarve (Portugal)

___________________

Fundador: Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP)

Presidente: Orlando Manuel José Fernandes da Mata

Diretor: Cristina Montalvão Sarmento (Secretária-Geral da AULP)

Editores científicos e organizadores: Alexandre Mavungo Chicuna e Manuel Célio Conceição

Coordenação editorial: Cristina Montalvão Sarmento e Pandora Guimarães

Conselho de acompanhamento científico: Orlando da Mata (Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Angola); Judite
Nascimento (Universidade de Cabo Verde, Cabo Verde); Amílcar Falcão (Universidade de Coimbra, Portugal); Leda Florinda Hugo (Universidade Lúrio, Moçambique); Sandra Almeida (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil); Rui Martins (Universidade de Macau, RAEM-China); Narciso Matos (Universidade Politécnica de Moçambique, Moçambique); Orlando Rodrigues (Instituto Politécnico de Bragança, Portugal); Albano Ferreira (Universidade Katyavala Bwila, Angola); Antonio José de Almeida Meirelles (Universidade Estadual de Campinas, Brasil); João Soares Martins (Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, Timor-Leste); Agostinho Rita (Instituto Universitário de Contabilidade e Administração e Informática, São Tomé e Príncipe); Samba Tenen Camará (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, Guiné-Bissau); Fábio Josué Souza dos Santos (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Brasil).

Revisão científica: Afonso Miguel (Universidade de Lisboa – Portugal, manafonso@hotmail.com); Alexandre Mavungo Chicuna (Universidade Agostinho Neto – Angola, almakikuna@gmail.com); Alexandre Lucas Selombo Sakukuma (Instituto Superior de Ciências da Educação – Angola, alexandresakukuma@yahoo.com.br); Amadeu Teófilo de Barros (Universidade Metodista – Angola,teubarros2007@hotmail.com); Cristina Flores (Universidade do Minho – Portugal, cflores@ilch.uminho.pt); David Jorge Lopes Suelela (Universidade de Évora – Portugal, davidsuelela@yahoo.com.br); Filomena Gonçalves (Universidade de Évora – Portugal, mfg@uevora.pt), Helena Valentim (Universidade Nova de Lisboa – Portugal, ht.valentim@fcsh.unl.pt); Ieda Alves (Universidade de São Paulo – Brasil, iemalves@usp.br); Isabel Margarida Duarte (Universidade do Porto – Portugal, iduarte@letras.up.pt), Isabel Roboredo Seara (Universidade Nova de Lisboa – Portugal, irseara@gmail.com); Jorge Baptista (Universidade do Algarve – Portugal, jbaptis@ualg.pt); Lúcia Maria de Assunção Barbosa (Universidade de Brasília – Brasil, luciunb@gmail.com); Luis Filipe Barbeiro (Instituto Politécnico de Leiria – Portugal, barbeiro@ipleiria.pt); Marisa Mendonça (Universidade Pedagógica de Maputo – Moçambique, marisagmendonca2018@gmail.com); Manuel Célio Conceição (Universidade do Algarve – Portugal, mconcei@ualg.pt); Paulino Fumo (Universidade Pedagógica – Moçambique, fumo.paulino62@gmail.com); Paulo Osório (Universidade da Beira Interior – Portugal, pjtrso@ubi.pt); Rosa Bizarro (Instituto Politécnico de Macau – Macau, rosabizarro@ipm.edu.mo); Rosa Maria Fréjaville (Université Jean Monnet à Saint Étienne – França,

Capa/contracapa: Pandora Guimarães e Sara Teixeira

Conceção gráfica: Europress

Tiragem: 200 exemplares

Depósito Legal: 28038/89

ISSN: 2182-4452

Preço deste número: 10,00 Euros

Número de registo na ERC: 123241

DOI: https://doi.org/10.31492/2184-2043.RILP2021.39

Editor: Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP)

__________________________________

Revista em distribuição.

Disponibilidade: Disponível

Preço: 10

RILP – IV Série, nº39 (2021)

RILP – IV Série, nº40 (2021)

RILP – IV Série, nº40 (2021)

 Ensino da Língua Portuguesa: contextos e perspetivas

Editores científicos desta publicação:

Manuel Célio Conceição, Universidade do Algarve (Portugal)

Alexandre Mavungo Chicuna, Universidade Agostinho Neto (Angola)

___________________

Fundador: Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP)

Presidente: Orlando Manuel José Fernandes da Mata

Diretor: Cristina Montalvão Sarmento (Secretária-Geral da AULP)

Editores científicos e organizadores: Alexandre Mavungo Chicuna e Manuel Célio Conceição

Coordenação editorial: Cristina Montalvão Sarmento e Patrícia Oliveira

Conselho de acompanhamento científico: Orlando da Mata (Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Angola); Judite
Nascimento (Universidade de Cabo Verde, Cabo Verde); Amílcar Falcão (Universidade de Coimbra, Portugal); Leda Florinda Hugo (Universidade Lúrio, Moçambique); Sandra Almeida (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil); Rui Martins (Universidade de Macau, RAEM-China); Narciso Matos (Universidade Politécnica de Moçambique, Moçambique); Orlando Rodrigues (Instituto Politécnico de Bragança, Portugal); Albano Ferreira (Universidade Katyavala Bwila, Angola); Antonio José de Almeida Meirelles (Universidade Estadual de Campinas, Brasil); João Soares Martins (Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, Timor-Leste); Agostinho Rita (Instituto Universitário de Contabilidade e Administração e Informática, São Tomé e Príncipe); Samba Tenen Camará (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, Guiné-Bissau); Fábio Josué Souza dos Santos (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Brasil).

Revisão científica: Afonso Miguel (Universidade de Lisboa – Portugal, manafonso@hotmail.com); Alexandre Mavungo Chicuna (Universidade Agostinho Neto – Angola, almakikuna@gmail.com); Alexandre Lucas Selombo Sakukuma (Instituto Superior de Ciências da Educação – Angola, alexandresakukuma@yahoo.com.br); Amadeu Teófilo de Barros (Universidade Metodista – Angola, teubarros2007@hotmail.com); Cristina Flores (Universidade do Minho – Portugal, cflores@ilch.uminho.pt); David Jorge Lopes Suelela (Universidade de Évora – Portugal, davidsuelela@yahoo.com.br); Filomena Gonçalves (Universidade de Évora – Portugal, mfg@uevora.pt), Helena Valentim (Universidade Nova de Lisboa – Portugal, ht.valentim@fcsh.unl.pt); Ieda Alves (Universidade de São Paulo – Brasil, iemalves@usp.br); Isabel Margarida Duarte (Universidade do Porto – Portugal, iduarte@letras.up.pt), Isabel Roboredo Seara (Universidade Nova de Lisboa – Portugal, irseara@gmail.com); Jorge Baptista (Universidade do Algarve – Portugal, jbaptis@ualg.pt); Lúcia Maria de Assunção Barbosa (Universidade de Brasília – Brasil, luciunb@gmail.com); Luis Filipe Barbeiro (Instituto Politécnico de Leiria – Portugal, barbeiro@ipleiria.pt); Marisa Mendonça (Universidade Pedagógica de Maputo – Moçambique, marisagmendonca2018@gmail.com); Manuel Célio Conceição (Universidade do Algarve – Portugal, mconcei@ualg.pt); Paulino Fumo (Universidade Pedagógica – Moçambique, fumo.paulino62@gmail.com); Paulo Osório (Universidade da Beira Interior – Portugal, pjtrso@ubi.pt); Rosa Bizarro (Instituto Politécnico de Macau – Macau, rosabizarro@ipm.edu.mo); Rosa Maria Fréjaville (Université Jean Monnet à Saint Étienne – França, rosa.

Capa/contracapa: Pandora Guimarães e Sara Teixeira

Conceção gráfica: Europress

Tiragem: 200 exemplares

Depósito Legal: 28038/89

ISSN: 2182-4452

Preço deste número: 10,00 Euros

Número de registo na ERC: 123241

DOI: https://doi.org/10.31492/2184-2043.RILP2021.40

Editor: Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP)

__________________________________

Revista em distribuição.

Disponibilidade: Disponível

Preço: 10

RILP – IV Série, nº39 (2021)

Prémio Fernão Mendes Pinto (Edição 2019)

Prémio Fernão Mendes Pinto (Edição 2019)

 

VENCEDOR

A vencedora do PFMP 2019 foi Tânia dos Reis Alves da Universidade de Lisboa, com a dissertação de doutoramento 1961 – Sob o viés da imprensa. Os jornais portugueses, britânicos e franceses na conjuntura da eclosão da guerra no império português.

Recebi o prémio Fernão Mendes Pinto como uma forma de reconhecimento da minha tese de doutoramento, embora julgue que vencer um prémio não é o principal critério de aferição da qualidade de um trabalho. Depois de cerca de cinco anos dedicada à investigação e à escrita desse meu trabalho intitulado “1961 – Sob o viés da imprensa. Os jornais portugueses, britânicos e franceses na conjuntura da eclosão da guerra no império português”, foi com gratidão que recebi tal reconhecimento.

Todavia, é para mim, sobretudo, relevante constatar a atribuição desta distinção a um trabalho que considera o ano de 1961 como, em grande medida, a origem da revolução democrática de 1974. 1961, é certo, não foi desprendido de outros tempos, e vale a pena lembrar que nesses outros tempos havia já quem recusasse e condenasse a indignidade humana da escravatura e a iniquidade da dominação colonial. A minha tese diz respeito à história de um império, no qual irrompe uma guerra que o vai destruir – acredito que esta seja a história partilhada por todos os impérios. E, em 1961, Salazar moveu uma guerra – sem pronunciar esta palavra – ignorando os “ventos de mudança” e o clima da opinião internacional no pós-segunda guerra mundial. Fê-lo usando uma série de mentiras, de processos insidiosos de manipulação ideológica e cultural que dão mostra de um regime completamente desfasado de uma série de valores fundamentais – ligados à dignidade dos povos, ao valor da verdade e da liberdade. Penso que a atribuição deste prémio a um trabalho como aquele que eu desenvolvi é um sinal do valor cívico, além do valor académico, historiográfico, sociológico, conceptual e empírico desta investigação, e também do lugar cada vez mais saliente que os media e o jornalismo devem ter nos estudos da Sociologia e da História. As ciências sociais não podem ignorar a importância dos media como instituições que têm uma ação de grande relevo na construção dos quadros culturais e políticos da sociedade e da própria organização dos seus debates e conflitos. 

Manifestei desde logo, e reitero aqui, o meu agradecimento à Associação das Universidades de Língua Portuguesa e aos membros do júri a leitura da minha tese e a atribuição deste prémio. Reafirmo as minhas palavras de agradecimento ao Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, que me acolheu e me deu as condições para desenvolver o meu estudo, à Fundação para a Ciência e Tecnologia por me ter concedido uma bolsa de investigação, e ao meu orientador, o Prof. José Luís Garcia, pela inspiração constante e a dedicação a este trabalho.

Além do elemento simbólico, há, evidentemente, o aspeto financeiro deste prémio, igualmente muito importante; ambos são um inegável estímulo para a continuação do trabalho que tenho vindo a desenvolver, sempre muito atento e a dar valor ao poder dos jornais em termos de agendamento, da configuração dos acontecimentos mediáticos, dos jogos de linguagem. A tese que foi premiada deu origem a um livro, que está prestes a sair, e que – espero – venha a cativar a atenção e a estimular a leitura de todos os que trabalham ou têm interesse nas temáticas do colonialismo e dos impérios coloniais modernos, da propaganda, da censura, da imprensa, e dos acontecimentos que precipitaram o início do fim do império português em África e a queda do chamado Estado Português da Índia. Uma última ideia: com o meu estudo, no mundo que estamos a viver hoje, gostaria de ter contribuído um pouquinho que fosse para que se perceba quão lunáticos são e quanta desgraça produzem os imperadores e candidatos a imperadores.  

Comemorações Dia Mundial da Língua Portuguesa

Comemorações Dia Mundial da Língua Portuguesa

Comemorações Dia Mundial da Língua Portuguesa

O Presidente da AULP, Professor Doutor Orlando da Mata, Reitor da Universidade Mandume Ya Ndemufayo de Angola foi convidado pela revista «Pontos de Vista» a dar uma entrevista por ocasião do Dia Mundial da Língua Portuguesa, celebrado no dia 5 de maio.

Desde 2009 que este dia era comemorado pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) como sendo o Dia da Língua e da Cultura Portuguesa, sendo que só no ano passado foi oficializado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Disponibilizamos no botão abaixo a publicação integral, na qual o Presidente foca a importância da colaboração multilateral para o desenvolvimento científico de instituições de ensino de Língua Portuguesa, assim como as vantagens da mobilidade de estudantes como contributo a este objetivo: “valorizando as diversas culturas, aproximando as dinâmicas científicas, multiplicando os intercâmbios nos domínios do ensino e da investigação científica, consolidando as parcerias estratégicas e ampliando também, o papel da língua portuguesa como animador qualificado desta comunidade”.