Aprovado o Consórcio ProCultura+ pela Agência Nacional Erasmus+

Aprovado o Consórcio ProCultura+ pela Agência Nacional Erasmus+

A Agência Nacional Erasmus+ aprovou em 27 de setembro de 2021 a candidatura apresentada pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa conjuntamente com 11 das melhores Instituições de Ensino Superior de Portugal ministrando cursos no âmbito da cultura – Instituto Politécnico de Bragança, Instituto Politécnico de Leiria, Instituto Politécnico de Lisboa, Universidade do Algarve, Universidade de Aveiro, Universidade da Beira Interior, Universidade Católica Portuguesa, Universidade de Coimbra, Universidade da Madeira, Universidade Nova de Lisboa e Universidade de Porto, –para a obtenção de uma Acreditação de Consórcio nacional de Ensino Superior de mobilidade ao abrigo do Programa Erasmus+.

O Consórcio ProCultura+ nasce no seguimento da Ação PROCULTURA PALOP-TL – Promoção do Emprego nas  Atividades Geradoras de Rendimento no Setor Cultural nos PALOP e Timor-Leste, financiada pela União Europeia, cofinanciada e gerida pelo Camões, IP (Acordo de Delegação FED/2019/405-279) e em base ao Programa Indicativo Multianual UE/ PALOP-TL 2014-2020 que elege como prioridade a criação de emprego (“Domínio Prioritário 1”), com objetivos específicos de reforço da mobilidade e inclusão através das atividades geradoras de rendimento no setor cultural.

O objetivo principal do Consórcio ProCultura+ é contribuir para a formação das capacidades artísticas e de pensamento crítico dos estudantes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) – Angola, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe – e Timor-Leste de primeiro ciclo nas áreas disciplinares da dança, música, teatro, cinema, gestão do património cultural e literatura portuguesa com a finalidade de melhorar a futura empregabilidade destes jovens em atividades geradoras de rendimento no sector cultural nos PALOP e Timor-Leste.

Adicionalmente, o Consórcio ProCultura+ tem como objetivo melhorar as competências profissionais dos docentes das instituições membros do Consórcio ProCultura+ e das instituições parceiras dos PALOP e Timor- Leste através da implementação de mobilidades de docentes combinadas que favoreçam a troca de conhecimentos, a experiência em novos ambientes de ensino e a aquisição de novas competências pedagógicas e digitais

Pretende-se assim que as instituições de ensino superior nos PALOP, Timor-Leste e Portugal cooperem a curto e longo prazo em prol do desenvolvimento coletivo do ensino superior no âmbito da cultura ao abrigo do Programa Erasmus+.

Aliança Bibliotecária Académica entre a RAEM (China) e os Países de Língua Portuguesa

Aliança Bibliotecária Académica entre a RAEM (China) e os Países de Língua Portuguesa

Aliança Bibliotecária Académica entre a RAEM (China) e os Países de Língua Portuguesa

Por iniciativa da Universidade de Macau e no ano em que comemora o seu 40.º aniversário, foi criada a “Aliança Bibliotecária Académica entre a Região Administrativa Especial de Macau (China) e os Países de Língua Portuguesa” (ABAMAPLP).

Integram esta Aliança a Associação de Universidades de Língua Portuguesa, o Centro Científico e Cultural de Macau, a Universidade Agostinho Neto, a Universidade Mandume Ya Ndemufayo, a Universidade Estadual de Campinas, a Universidade Federal de Minas Gerais, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Universidade Federal do Rio de Janeiro, a Universidade de São Paulo, a Universidade de Cabo Verde, a Universidade Eduardo Mondlane, a Universidade Pedagógica de Maputo, a Universidade de Macau, a Universidade de São José, a Universidade Católica Portuguesa, a Universidade do Porto, a Universidade de Coimbra, a Universidade do Minho, a Universidade de Lisboa, e a Universidade Nacional Timor Lorosa’e.

A aliança servirá de plataforma para o intercâmbio académico entre a China e os PLP, por intermédio de Macau, e promoverá a partilha de recursos pedagógicos em língua portuguesa e a formação de quadros profissionais bilingues chinês-português.

A ABAMAPLP prevê o estabelecimento de um catálogo e de um mecanismo de intercâmbio de livros e documentação, de forma que, seja possível elevar o nível académico e a qualidade dos serviços das bibliotecas-membros, melhorando as competências profissionais do pessoal que exerce funções nas bibliotecas. A parceria visa ainda a promoção de eventos, entre os quais ações de formação e intercâmbio entre os profissionais que exercem funções nas bibliotecas, assim como o fomento de atividades de intercâmbio entre as bibliotecas-membros.

O acordo foi formalmente assinado, via plataforma Zoom, no dia 16 de setembro de 2021, durante o XXX Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa, que decorreu nos dias 16 e 17 de setembro.

Conselho de Administração da AULP – setembro de 2021

Conselho de Administração da AULP – setembro de 2021

Conselho de Administração da AULP – setembro de 2021

No passado dia 16 de setembro de 2021, realizou-se a reunião do Conselho de Administração da AULP através da plataforma digital Zoom, tendo sido dirigida pelo atual Presidente da associação, Professor Doutor Orlando da Mata, Reitor da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Angola.

Em representação das instituições de ensino superior membros da AULP marcaram igualmente presença os Vice-presidentes do Conselho de Administração da AULP, em representação da Professora Doutora Judite Nascimento, Reitora da Universidade de Cabo Verde (Cabo Verde), o Professor João Cardoso, em representação do Professor Amílcar Falcão, Reitor da Universidade de Coimbra (Portugal), o Professor Doutor João Nuno Cruz Matos Calvão da Silva, em representação da Professora Sandra Almeida, Reitora da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil), o Professor Aziz Saliba e a Professora Leda Hugo, Reitora da Universidade Lúrio (Moçambique); bem como os vogais, em representação do Professor Yonghua Song, Reitor da Universidade de Macau, o Professor Doutor Rui Martins, Vice-Reitor da Universidade de Macau (Macau), Professor Doutor Narciso Matos, Reitor da Universidade Politécnica de Moçambique (Moçambique), Professor Doutor Orlando Rodrigues, Presidente do Instituto Politécnico de Bragança (Portugal), Professor Doutor Albano Ferreira, Reitor da Universidade Katyavala Bwila (Angola). O Presidente do Conselho Fiscal, Professor Doutor Elmano Margato, Presidente do Instituto Politécnico de Lisboa (Portugal). A Professora Doutora Maria Madalena Almeida, Administradora do Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais (Cabo Verde), e o Professor Orlando Quilambo, Reitor da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique) marcaram presença enquanto vogais do Conselho Fiscal, bem como a Secretária-Geral da AULP, Professora Doutora Cristina Montalvão Sarmento.

Cumpriu-se, a ordem de trabalhos prevista para a reunião do Conselho de Administração da AULP, salientando-se a apresentação do relatório de atividades, as edições da AULP em curso, o Prémio Fernão Mendes Pinto, apresentação de dados estatísticos e balanço geral do Programa Mobilidade AULP, bolsas de viagem OEI-AULP e bolsas PROCULTURA, bem como outras atividades correntes da associação. Apesar dos vários constrangimentos provocados pela pandemia, os membros do Conselho de Administração da AULP consideraram que a AULP fez um enorme esforço em prosseguir com as atividades da associação durante o atual estado de pandemia.

AULP entrega o Prémio Fernão Mendes Pinto, edição 2019, no Dia Mundial da Língua Portuguesa

AULP entrega o Prémio Fernão Mendes Pinto, edição 2019, no Dia Mundial da Língua Portuguesa

AULP entrega o Prémio Fernão Mendes Pinto, edição 2019, no Dia Mundial da Língua Portuguesa

Tânia dos Reis Alves da Universidade de Lisboa venceu o PFMP, edição 2019, com a dissertação de doutoramento “1961 – Sob o viés da imprensa. Os jornais portugueses, britânicos e franceses na conjuntura da eclosão da guerra no império português”, pelo que no passado dia 5 de maio realizou-se uma sessão solene com as intervenções do Secretário Executivo da CPLP, Embaixador Francisco Ribeiro Telles, Drª Sónia Martins, em representação da Presidência cabo-verdiana em exercício da CPLP e a Secretária-Geral da Associação das Universidades de Língua Portuguesa, Professora Cristina Montalvão Sarmento, que transmitiu aos presentes a mensagem do Presidente da AULP, Professor Doutor Orlando da Mata na entrega do referido prémio.

O 5 de maio foi instituído como Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP pela XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, decorrida a 20 de julho de 2009. Na 40.ª sessão da Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), a 25 de novembro de 2019, o 5 de maio foi reconhecido como Dia Mundial da Língua Portuguesa.

(Créditos fotografias: CPLP)

 

Conselho de Administração da AULP – fevereiro de 2021

Conselho de Administração da AULP – fevereiro de 2021

Conselho de Administração da AULP – fevereiro de 2021

No passado dia 11 de fevereiro de 2021, realizou-se a reunião do Conselho de Administração da AULP através da plataforma digital Zoom, tendo sido dirigida pelo atual Presidente da associação, Professor Doutor Orlando da Mata, Reitor da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Angola.

Em representação das instituições de ensino superior membros da AULP marcaram igualmente presença os Vice-presidentes do Conselho de Administração da AULP, Professora Doutora Judite Nascimento, Reitora da Universidade de Cabo Verde (Cabo Verde), Professor Doutor João Nuno Cruz Matos Calvão da Silva (em representação do Reitor da Universidade de Coimbra); bem como os vogais Professor Doutor Rui Martins, Vice-Reitor da Universidade de Macau, Professor Doutor Narciso Matos, Reitor da Universidade Politécnica de Moçambique, Professor Doutor Orlando Rodrigues, Presidente do Instituto Politécnico de Bragança, Professor Doutor Albano Ferreira, Reitor da Universidade Katyavala Bwila, e Professor Doutor Marcelo Knobel, Reitor da Universidade Estadual de Campinas. Em representação do Presidente do Conselho Fiscal – Instituto Politécnico de Lisboa – Professor Doutor Elmano Margato, Presidente do Instituto Politécnico de Lisboa, Portugal, esteve o Professor António Belo. A Professora Doutora Maria Madalena Almeida, Administradora do Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais, Cabo Verde, enquanto vogal do Conselho Fiscal também marcou presença, bem como a Secretária-Geral da AULP, Professora Doutora Cristina Montalvão Sarmento.

Cumpriu-se, a ordem de trabalhos prevista para a reunião do Conselho de Administração da AULP, salientando-se a apresentação do relatório de atividades, as edições da AULP em curso, o Prémio Fernão Mendes Pinto, apresentação de dados estatísticos e balanço geral do Programa Mobilidade AULP, bolsas de viagem OEI-AULP e bolsas PROCULTURA, bem como outras atividades correntes da associação. Apesar dos vários constrangimentos provocados pela pandemia, os membros do Conselho de Administração da AULP consideraram ser unânime o sucesso do programa de mobilidade e os outros programas associados como as bolsas de viagem OEI-AULP e PROCULTURA. Expressaram ainda a importância de consolidar parcerias estratégicas. O Conselho de Administração da AULP decidiu fazer a reunião do próximo conselho e assembleia geral via zoom em junho/julho (data a confirmar) e aguardar a realização do encontro em Macau (RAEM, China) para setembro de 2021, em regime misto (presencial e não presencial), conforme se venha a demonstrar mais adequado e viável.

Universidade de Cabo Verde inaugura novo campus

Universidade de Cabo Verde inaugura novo campus

Universidade de Cabo Verde inaugura novo campus

Conforme comunicado pela agência Lusa, a Professora Doutora Judite Nascimento, reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), inaugurou um novo campus da instituição pública, construído pela China, e que inicia aulas no próximo ano letivo.

“Quando nós pensámos no novo campus da Universidade de Cabo Verde, nós pensamos numa nova etapa de crescimento e sobretudo de desenvolvimento da nossa instituição”, disse Judite Nascimento, em entrevista à agência Lusa, sobre a nova “casa” da Uni-CV, que está a ser construída na cidade da Praia.

Localizado na zona do Palmarejo Grande, o novo campus da Uni-CV deveria ter ficado concluído em julho último, para iniciar aulas em outubro, mas devido à pandemia terá um ano de atraso.

Segundo informações oficiais, a obra só deverá ser entregue agora ao Governo de Cabo Verde em março de 2021, com a Uni-CV a iniciar a mudança paulatina depois disso para começar as aulas em plano no próximo ano letivo.

“Nós temos a expectativa de, em outubro de 2021, iniciarmos o ano letivo já nas novas instalações no polo da Praia”, previu Judite Nascimento, para quem a Uni-CV vai passar a ter um campus com “condições muito boas” para alunos, docentes, técnicos e funcionários e para pôr em ação a criatividade e o espírito inovador e conseguir desenhar programas dignos do espaço.

Neste momento, a Uni-CV funciona com unidades orgânicas em instalações dispersas pela cidade da Praia, mas espera ter durante o próximo ano as suas faculdades alojadas no novo Campus Universitário, que, segundo a reitora, será “à altura” dos grandes campus que existem um pouco por todo o mundo.

O novo campus da Uni-CV foi projetado para acolher 4.890 estudantes e 476 professores em 61 salas de aulas, 5 auditórios com capacidade para 150 lugares, oito salas de informática, oito salas de leitura, 34 laboratórios, salão multiúsos, com capacidade de 654 lugares, refeitórios, biblioteca, dormitórios e espaços desportivos.

Para a reitora, a Uni-CV vai poder realizar os grandes projetos que tem a nível de ensino, onde vai poder diversificar ainda mais a oferta formativa, mas também ter auditórios suficientes para desenvolver ainda mais o programa de extensão universitária sem perturbar a agenda dos cursos.

“A universidade, à medida que vai crescendo, vai tendo muito mais necessidade de espaços, onde os docentes e investigadores possam desenvolver com condições e com conforto também a investigação científica”, salientou a responsável máximo da única instituição de ensino superior pública do país.

“As condições serão muito boas, tanto em termos de materiais como em termos de conforto físico”, reforçou Judite Nascimento, referindo que nessa nova etapa a universidade já está a fazer a transição para a era da inteligência artificial.

“Estamos a fazê-lo paulatinamente, utilizando os recursos que a universidade conseguiu acumular ao longo de todos esses anos e o novo campus vai-nos permitir com melhor condições de atingir os objetivos de crescimento e de desenvolvimento sustentável que temos traçado”, projetou.

Com um campus novinho em folha e com boas condições, a reitora não tem dúvidas que a Uni-CV está a caminhar para ser, num futuro muito próximo, uma “universidade marcante” no contexto da sub-região africana, a par das do Senegal, por exemplo.

“E a Universidade de Cabo Verde também quer posicionar-se e está a posicionar-se desde há alguns anos e neste momento com mais fervor já que o novo campus vai nos permitir receber estudantes de outros países”, enfatizou a reitora.

Na altura do seu lançamento, em junho de 2017, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse que Cabo Verde terá um campus universitário moderno, funcional e ao nível de países mais desenvolvidos.

Por outro lado, a reitora disse que vai transformar a área envolvente e tornar-se num grande polo de desenvolvimento da cidade da Praia, numa zona de expansão onde situa-se ainda a Universidade Jean Piaget, a Escola de Hotelaria e Turismo, o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Energética (CERMI), estando previstas grandes outras infraestruturas.

A reitora disse que a Uni-CV “é grata” à China, que financiou a totalidade da obra em 45 milhões de euros, mas também por ter instalado em 2015 o Instituto Confúcio no país, e que hoje é uma instituição que promove a extensão universitária, através da língua a da cultura chinesas.

Além do Instituto Confúcio, a Uni-CV tem ainda institutos de língua inglesa, francesa, centros de língua portuguesa e está a trabalha em centros de língua cabo-verdiana, o crioulo, tudo enquadrado num grande programa que é a promoção das línguas estrangeiras.

Com 14 anos de existência, a Uni-CV tem três polos de ensino, nomeadamente na Praia e em Assomada, todos em Santiago, e em São Vicente, com mais de 4.000 estudantes, em cursos profissionalizantes, licenciaturas, especializações, mestrados e doutoramentos.