Saltar para o conteúdo...

Formulário de procura

Close Search
Close Search

Cientistas e amigos da biodiversidade juntam esforços pela defesa da vaca-loura

Lucanus_cervus
Fonte: 
Universidade de Aveiro, Portugal, 2017-05-15

O projeto VACALOURA.pt volta a apelar ao contributo de todos os interessados na proteção da natureza e da biodiversidade em nome da defesa de uma espécie sobre a qual ainda pouco se conhece. A Associação BioLiving, em colaboração com os biólogos da Universidade de Aveiro (UA), a Sociedade Portuguesa de Entomologia (SPEN) e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), promovem, pelo segundo ano, uma nova campanha deste projeto de ciência cidadã, com base no voluntariado e na recolha de dados por cidadãos. Os participantes registam dados sobre o avistamento de vacas-louras numa plataforma digital, de forma a monitorizar as populações desta e das outras três espécies de escaravelhos da família Lucanidae em Portugal.

Lucanus cervus, o maior escaravelho da Europa, comummente conhecido por vaca-loura, é uma espécie protegida a nível europeu. Encontra-se em declínio em quase todo o seu território, estando até extinta em países como a Dinamarca, Luxemburgo e Letónia. Em Portugal ainda não existe informação suficiente para se saber o estado de conservação desta espécie.

Esta espécie alimenta-se de madeira morta, em decomposição, de árvores de folha caduca como os carvalhos ou castanheiros, pode ser avistada nos meses de maior calor, principalmente junto a árvores de porte elevado e os machos, conhecidos pelas suas grandes mandíbulas, podem medir entre 5 e 8 centímetros.

Durante 2016, o primeiro ano do projeto, foram compilados 552 avistamentos de lucanídeos no território nacional, provenientes de 485 cidadãos. Destes registos, 470 foram apenas da vaca-loura e permitiram duplicar a área de distribuição conhecida desta espécie no território nacional.

A importância do trabalho continuado

“Estes dados mostram que continua a existir uma profunda falta de conhecimento relativamente aos invertebrados em Portugal, elevando assim a importância deste projeto para a conservação destas espécies. Durante o primeiro ano dos trabalhos obteve-se uma situação de referência, mas será necessária a recolha de dados durante vários anos para se perceber a tendência de evolução das populações e conseguir definir medidas de conservação”, explica João Gonçalo Soutinho, coordenador do Projeto VACALOURA.pt, membro fundador da Associação Bioliving e investigador da Unidade de Vida Selvagem do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.

O projeto tem ainda como objetivo sensibilizar a população portuguesa para a importância destes organismos e dos seus habitats e por isso está a desenvolver várias atividades ao longo do país durante esta Primavera e Verão.

O Projeto VACALOURA.pt (www.vacaloura.pt ou https://www.facebook.com/vacalourapt) é coordenado pela Associação BioLiving (https://www.facebook.com/associacaoBioLiving) em parceria com a Unidade de Vida Selvagem do DBio (https://www.facebook.com/wildlife.research.unit/?fref=ts), a SPEN (https://www.facebook.com/sociedadeportuguesadeentomologia/?fref=ts) e o ICNF (www.icnf.pt)

Como pode ajudar?

Acredita-se que as tendências de gestão das florestas europeias vão ter um impacto significativo nestes invertebrados e, por isso, todos os esforços para a conservação, tanto das espécies, como dos seus habitats, devem ser postos em prática. Para definir  estratégias de conservação destas espécies, o projeto precisa também de dados sobre o que os portugueses sabem sobre a importância destes organismos e dos seus habitats. Para dar o seu contributo basta responder ao seguinte questionário: (tinyurl.com/vacaloura-pt-questionario)

Há duas formas de participar: adotando um transecto e fazendo registos continuados ao longo de dois meses, ou fazendo o registo de um avistamento esporádico. Se vir qualquer uma destas espécies, tire uma foto e preencha o formulário disponível em  www.vacaloura.pt/registos-esporádicos ou, então, adote um percurso de monitorização durante Junho e Julho, tire fotos e registe os seus avistamentos.

Mapa Distribuição Vaca-Loura