Saltar para o conteúdo...

Formulário de procura

Close Search
Close Search

IST recebe 45 Milhões de horas num dos supercomputadores mais rápidos do mundo

Fonte: 
Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa, Portugal, 2017-04-04

Uma equipa do Grupo de Lasers e Plasmas do Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear (IPFN) do IST liderada por Luis Oliveira e Silva, Thomas Grismayer e Kevin Schoeffler foi responsável por um dos projetos científicos selecionados pelo consórcio PRACE (Partnership for Advanced Computing in Europe) para atribuição de tempo de computação nos maiores supercomputadores europeus. Este consórcio, junta os maiores centros de supercomputação (HPC) da Europa, é uma e-infraestrutura europeia que providencia tempo de supercomputação para a indústria e a ciência.

Portugal confirmou recentemente a participação nesta e-infraestrutura europeia através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, o Instituto Superior Técnico e a Universidade de Coimbra.

O consórcio PRACE recebeu mais de 110 candidaturas de projectos Europeus em todos os domínios científicos, tendo a equipa do IST recebido 45 Milhões de horas de computação no supercomputador MareNostrum 4 no Barcelona Supercomputing Center. O tempo de computação atribuído corresponde a 15 % do tempo atribuído através do PRACE no supercomputador MareNostrum 4. O valor estimado do tempo de computação atribuído é de 2 milhões de euros.

Será modelizado a forma como “ferver o vácuo” afecta a reconexão magnética ou seja como é que a presença de campos magnéticos ultra intensos, próximos do campo de Schwinger, como os existentes em pulsares e magnetares afectam a aceleração de partículas e a luz emitida nos processos de reconexão magnética.

O projecto científico enquadra-se na Advanced Grant “InPairs” do European Research Council que se iniciou recentemente no Instituto Superior Técnico. O trabalho será realizado em colaboração com investigadores do Instituto de Estudos Avançados em Princeton e centra-se em duas dimensões: os aspectos fundamentais da física da reconexão magnética em campos próximos do campo de Schwinger e a identificação das correspondentes assinaturas na energia das partículas aceleradas e nos raios gama gerados devido a efeitos não-lineares da electrodinâmica quântica.

A reconexão magnética é um problema central em plasmas com campos magnéticos correspondendo a alterações da topologia e da forma dos campos magnéticos e à libertação muito rápida de energia sob a forma de partículas aceleradas. Evidências destes processos são, por exemplo, as tempestades solares ou as instabilidades em máquinas de fusão nuclear.

O campo de Schwinger é o campo elétrico (ou magnético) de tal forma elevado que pares de electrão-positrão podem ser diretamente gerados no vácuo, um processo metaforicamente designado como “ferver o vácuo”.

Será a primeira vez que estudos de reconexão magnética incluirão efeitos de electrodinâmica quântica, particularmente relevantes nas condições extremas presentes nestes ambientes astrofísicos que estão intimamente associados às tempestades electromagnéticas mais violentas do Universo.

Nos últimos 5 anos, a equipa do IST atraiu mais de 550 milhões de horas de supercomputação através de concursos competitivos na Europa e nos Estados Unidos.

A equipa do IST utiliza regularmente os maiores supercomputadores europeus no âmbito de projetos que lidera e, no âmbito de colaborações com a Universidade da Califórnia em Los Angeles e com a Universidade de Stanford, tem também acesso aos maiores supercomputadores norte-americanos.