Saltar para o conteúdo...

Formulário de procura

Close Search
Close Search

Porto pode perder centro de linguística

Fonte: 
Jornal de Notícias, 2014-07-23

O Centro de Linguistica da Universidade do Porto (CLUP), um dos mais antigos centros de investigação, pode encerrar por falta de verbas, devido à polémica avaliação da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Fundado em 1976 por Óscar Lopes, precursor da linguística formal no país, é a única estrutura científica de apoio à formação graduada e pós-graduada especializada em Ciências da Linguagem na Universidade do Porto (UP), o único centro especializado do Norte.

Na primeira fase da avaliação a 322 unidades de investigação, o CLUP obteve a classificação mais baixa - Insuficiente, contrariando a de Muito Bom em 2002 e 2007. O que dita o fim do financiamento de 53 mil euros anuais para que possa funcionar.

O reitor da UP não se pronuncia antes da reunião de hoje do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, que deverá reagir à polémica. Mas fonte da Reitoria diz que há alternativas em estudo para que os centros possam prosseguir as suas atividades.

O CLUP considera que "a avaliação que lhe foi atribuída é injusta, descontextualizada e desfasada da realidade em que se insere", reclaman- do-se "uma das instituições mais prestigiadas" internacionalmente, pela investigação em áreas como as linguísticas portuguesa descritiva, comparada, computacional, educacional, histórica e forense, apesar da reduzida dimensão (19 doutorados integrados).

Críticas aos avaliadores

Denunciando a opção política da FCT "de desvalorizar a investigação científica que não é imediatamente lucrativa" e de diminuir o número de centros, o coordenador científico do CLUP, João Veloso, volta a criticar a composição "genérica e não específica" dos painéis de avaliação.

O painel que avaliou o CLUP "não é suficientemente qualificado", diz. Entre os 16 especialistas em diversos domínios (História, Filosofia, Educação), há apenas dois linguistas, de "áreas muito laterais - um de semântica formal, e outra da linguística inglesa e linguística cognitiva, aliás muito polémica".

Entre outros resultados "totalmente ignorados ou subavaliados", "não foram devidamente ponderados" critérios e resultados nacionais e internacionais que são consensuais na comunidade de linguistas, nos cinco anos objeto da avaliação, como 204 publicações, 70 eventos científicos e 12 doutoramentos".

Investigação

O CLUP enquadra a pesquisa de estudantes de mestrado, doutoramento e pós-doutoramento, bem como de investigadores nacionais e estrangeiros, realiza eventos e publica três revistas.

Espólio

O CLUP possui um acervo documental histórico de valor incalculável e uma das melhores bibliotecas especializadas (mais de 120 mil títulos) do Noroeste peninsular.

Arquivo dialetal

No sítio www.cl.up.pt. disponibiliza boa parte do arquivo de amostras sonoras do Português falado nas várias regiões do país, com transcrição fonética e ortográfica.

Avaliação polémica - A avaliação FCT

A avaliação de 322 unidades de investigação e desenvolvimento foi realizada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia com a colaboração da Fundação Europeia para a Ciência. Na primeira fase, eliminatória, concluída em junho, 83 unidades obtiveram a classificação Bom, 36 Razoável, 35 Insuficiente, e 1268 passaram diretamente à segunda fase.

Financiamento base

As 71 unidades (22% do total) classificadas na primeira fase com Razoável ou Insuficiente deixam de ter financiamento da FCT após 1 de janeiro de 2015. As que obtiverem uma classificação igual ou superior a Bom na primeira e segunda fases receberão entre cinco mil e 400 mil euros/ano, indexado às respetivas dimensões, número de investigadores e resultado da avaliação.

Financiamento estratégico

As unidades que obtiverem as classificações Excecional, Excelente ou Muito Bom beneficiarão de um financiamento estratégico adicional, sem teto máximo por unidade, sendo o critério principal o mérito do programa estratégico.

Ciências sociais e humanas

Entre as 168 unidades (52% das candidaturas) que estão na segunda fase, as Ciências Sociais (21% das selecionadas) e as Humanidades (20%) somam 41%. As engenharias (15%), as unidades multidisciplinares (14%), as Ciências Exatas (14%), as Ciências da Vida e da Saúde (8%) e Naturais e do Ambiente (8%) preenchem os restantes 59%.

Universidade do Porto

As 332 unidades avaliadas integravam um total de 15444 professores doutorados. A Universidade do Porto é aquela com a maior taxa de docentes que passaram à segunda fase (82%), seguindo-se a Nova de Lisboa (79%).