Saltar para o conteúdo...

Formulário de procura

Close Search
Close Search

Câmara Municipal de Lisboa

Câmara Municipal de Lisboa

PROTOCOLO

Associação das Universidades de Língua Portuguesa

Câmara Municipal de Lisboa

Direcção Municipal de Finanças, Planeamento e Controlo de Gestão

Departamento de Administração do Património Imobiliário

Divisão de Cadastro e de Administração

-Protocolo de Cedência do Fogo Municipal da Rua Santos Dumont, nº 67 - 2º e a Loja Municipal nº 37 da Rua Luís Noronha-

Entre a Câmara Municipal de Lisboa (CML), representada pelo seu Presidente Dr. João Barroso Soares, morador no Campo Grande, 99, Lisboa, portador do B.I. nº 309982, e a Associação das Universidades da Língua Portuguesa (AULP), com o nº fiscal 501902830, representada pelo seu Presidente Dr. Ruy Pauletti, morador na Rua Inocente de Carli, 116, Bairro Cinquentenário, 95012-260, Caxias do Sul, Brasil, B.I. nº 1002223269, nº de contribuinte 056274510-69, e/ou pelo seu Secretário-Geral Dr. Manuel Coelho da Silva, natural de Soure, portador do B.I. nº 511970 de Lisboa, nº de contribuinte 102037426, É estabelecido o seguinte protocolo que se rege pelas disposições a seguir exaradas:

CLÁUSULA 1ª

A Câmara Municipal de Lisboa, na qualidade de 1ª outorgante, autoriza a AULP na qualidade de 2ª outorgante, a ocupar o fogo municipal sito na Rua Santos Dumont nº 67, 2º e a loja municipal nº 37 da Rua Luís Noronha, no mesmo edifício.

CLÁUSULA 2ª

Os espaços são entregues no estado em que se encontram não aceitando a CML qualquer reclamação a esse respeito.

CLÁUSULA 3ª

Os espaços destinam-se aos fins prosseguidos pela AULP.

CLÁUSULA 4ª

A contrapartida mensal é de 10.000$00.

CLÁUSULA 5ª

O preço referido na cláusula anterior poderá ser actualizado de acordo com as regras aplicáveis a ocupações da mesma natureza.

CLÁUSULA 6ª

A ocupação não fica sujeita às leis reguladoras do contrato de lotação, mas sim ao regime tutelado pelo art.8º do Decreto-Lei nº 23 /465 de 18/01/1994 e do art.20º do Decreto-Lei nº 45/133 de 13/07/1963.

CLÁUSULA 7ª

Quaisquer obras de conservação ou de beneficiação serão sempre executadas por conta da 2ª outorgante e carecem de autorização da CML.

CLÁUSULA 8ª

A 2ª outorgante tomou conhecimento que em caso algum a CML autoriza qualquer forma de cedência ou sublocação.

CLÁUSULA 9ª

A 2ª outorgante compromete-se a avisar a CML sempre que tenha conhecimento de que algum perigo ameaça os espaços ou que terceiros se arrogam direitos sobre eles.

CLÁUSULA 10ª

A 2ª outorgante obriga-se a impedir a ocupação por terceiros de todo, ou parte, do espaço e responsabilizar-se-á por eventuais prejuízos que a CML vier a sofrer.

CLÁUSULA 11ª

Finda a ocupação a 2ª outorgante não terá direito a qualquer indemnização ou compensação, nem poderá alegar o direito de retenção em relação a obras ou benfeitorias que tenha executado e obriga-se a entregar os espaços à Câmara livres de quaisquer ocupações.

CLÁUSULA 12ª

O pagamento do preço da ocupação deverá ser feito no primeiro dia útil de cada mês ou nos oito dias seguintes.

CLÁUSULA 13ª

A 2ª outorgante compromete-se a suportar por sua conta todas as despesas correntes do condomínio, substituindo-se ao proprietário (CML) neste particular.

CLÁUSULA 14ª

A 2ª outorgante obriga-se a pôr em funcionamento as instalações no prazo de 90 dias a partir da data da entrega das chaves sob pena de caducar a cedência titulada por este protocolo a menos que a 2ª outorgante apresente justificação fundamentada, aceite pela CML.

CLÁUSULA 15ª

O encerramento ou não utilização das instalações para os fins próprios por período igual ou superior ao dobro do referido no nº anterior, sem justificação fundamentada e aceite pela 1ª outorgante, implicará a rescisão deste protocolo pela CML.

15 de Janeiro de 1998